quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

nos pés


sinto as folhas mortas.
do barco faço uma cama, de amor
podre, de sentimentos velhos.